quarta-feira, 4 de setembro de 2013

DESMINAGEM NA REGIÃO DO UIGE



Congratulemo-nos com esta notícia. Ela, só por si, certamente que enche os nossos corações de alegria. As minas são engenhos de mutilação e morte terríveis. Elas são invisíveis, sem cheiro e quando enterradas sem mapa de localização (pior ainda quando abandonadas a esmo num qualquer território) tornam-se num flagelo medonho.
Aplaudimos  e incentivamos a INAD/Uíge a continuar este abnegado trabalho até à erradicação total deste pesadelo.
Para que conste, hoje e no futuro, quando as Forças Armadas Portuguesas entregaram Angola ao seu povo não deixaram um único engenho destes no território. Este terrível pesadelo aconteceu aquando da guerra civil que se seguiu à independência desta grande Nação.
Aproveito a oportunidade para homenagear um camarada que nos deixou cedo, faleceu pouco tempo depois de termos regressado de Angola. O Ribeiro era o especialista de minas e armadinhas da nossa Companhia e, que me lembre, enquanto estivemos no Songo foi chamado três vezes a desativar minas, fê-lo com perícia e abnegação. É, pois, também ele, merecedor deste nosso aplauso.
Foto: retirada da Nete.
A.M.
 _______________________

Fonte: ANGOP em 29/08/2013

Cinco mil 227 engenhos não detonados, localizados num perímetro de 87 hectares a Sul do município de Bungo, 81 quilómetros da capital da província do Uíge, foram destruídos hoje, quinta-feira, pela brigada local do Instituto Nacional de Desminagem.
Na cerimónia, o responsável do departamento provincial do INAD/Uíge, José André disse que o trabalho foi realizado com êxito, durante o primeiro semestre do corrente ano, na referida área, num perímetro de 98 metros quadrados. Nessa área estavam minas antipessoais, projéteis e mais de três mil munições de diverso calibre.
Revelou que durante o período em referência o INAD trabalhou em colaboração com a terceira Brigada de Desminagem Mecânica da Casa Militar da Presidência da República, sita em Negage. Esta desmatou uma extensão de 248 mil 895 metros quadrados de terra, destinados à reserva fundiária do Estado.
Revelou ainda que no Uíge a brigada de desminagem do INAD já liberou, desde 2012, 16 áreas minadas com 11 mil e 826 engenhos não detonados, nos municípios do Uíge, Negage, Bungo, Bembe, Lucunga e outras ainda em prospeção.
Disse ainda que o processo de localização, remoção e destruição de minas e outros engenhos explosivos prossegue nas vilas de Bungo, Bembe e Lucunga.
Como perspetiva, anunciou, a brigada vai deslocar-se ainda este mês ao município do Bembe com o mesmo propósito, para desminar duas reservas fundiárias do Estado previstas para a construção de infraestruturas, a ser entregue à respetiva administração municipal em Novembro do corrente ano.
No Município de Negage foram entregues à administração local do Estado 172 hectares de terra desminadas em duas fases, pela terceira equipa mecânica, o que possibilitará igualmente o crescimento da cidade do Negage,  sita ao Nordeste da capital da província do Uíge.