sábado, 19 de outubro de 2013

RUÍDOS







                     ANGOLA/PORTUGAL

As relações entre estes dois povos moldaram-se na maceira da vida que fez História.

Aos políticos exige-se a obrigação de estabelecerem laços de confiança reciproca e, se forem inteligentes, mesmo de amizade que facilitem as relações sociais entre os respetivos povos. Aos outros agentes da estrutura do Estado: que façam o seu trabalho, sem serem linguarudos, por forma a não perturbarem o normal funcionamento de quem incumbe a representação do povo, com o objetivo da defesa dos interesses mútuos.
 Não será, pois, qualquer voz de burro (que me perdoem estes simpáticos animais) que perturbará os laços de fraternidade e amizade entre PORTUGAL/ANGOLA.


Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixe aqui o seu comentário: